17 de março de 2013

Otimista

 
Por que só chove quando vou à rua?
Por que o raio sempre cai no meu lugar?
Por que a catraca só trava na minha vez?
Insiste em me perseguir o azar.

Mas é só questão de observar,
Perceber que a vida é um rodeio,
Sempre enxergar o copo quase cheio
E seja onde estiver, o otimismo semear.

Afinal, quantas manhãs intactas acordaste?
Quantas vezes livremente passeaste,
E do brilho do sol pudeste desfrutar?

Guilherme Serafim