29 de novembro de 2011

Mundo Cordiforme


Eu tenho um mundo só meu
De formato cordiforme
Onde florescem sorrisos
E remanescem alegrias

Lá não existe só eu,
Os muitos sem uniformes,
Têm o seu próprio juízo
E emitem sua própria energia

Não há casa, nem hospedaria
Há uma espécie de moradia
Mas sem vigas e pilares

Não há rua, nem rodovia
Há uma espécie de aerovia
Mas sem radar e aeronaves

No meu mundo não há pedestres
Alguns deles voam comigo
Outros estão sob o mar
Ou reclusos em alguma prisão

Meu mundo não é extraterrestre
E está sempre contigo
Então te convido a entrar
O meu mundo é o meu coração.

Guilherme Serafim

25 de novembro de 2011

Tarja Preta