14 de abril de 2010

Sarcasmo burocrático


 Pasmava-se sozinha
Com o poder que as pessoas tinham
Poder de não compreender a ironia
Prefiriu deixar tudo como estava
A não ter o desprazer de explicar

 Enquanto todos caçoavam de sua face
Ela permanecia atônita
Enquanto toda classe caia às gargalhadas
Ela também ria,
Mas ria em silêncio,
Meio a tanta hipocrisia. 

Guilherme Serafim

Nenhum comentário:

Postar um comentário