28 de abril de 2010

O Morno - Nevilton de Alencar


 Ele só queria ver o sol
Mas nunca saía do seu quarto
Culpava a incerteza e a distância
Só se for quase garantido ai eu faço

Nunca joga nada e quer massagem
Não quer nem ver o jogo e só quer gol
Não leu o livro só quer a mensagem
E só chupa laranja que um outro descascou

Rezava, mas esquecia de crer
Queria o bem, mas só levava mal
E quando então o papo era fazer
Preferia voltar só no final

Pois sempre foi mais fácil esperar
E ver as flores dos jardins dos outros
Esperar para ver no que vai dar
E se for legal, porque não fazer igual

Queria muito viver bem a vida
Mas esquecia apenas de viver
Passava o dia olhando pra parede
E nunca via nada acontecer

Queria saber como é viajar
Mas tinha medo de algo dar errado
Então achava melhor nem tentar
E esquecia que podia ter amigos ao seu lado

Enfim um dia ele acordou pra vida
E experimentou o que é viver
E amou, errou, tentou, leu, descobriu
Que é natural, nem tudo sair como se espera
Mas todo ano chega a primavera
E o calor do sol sempre ta ai pra te abraçar

25 de abril de 2010

Update - Escrita, vídeos, xadrez, literatura e coisas rotineiras.

Faz um tempo que não faço postagens escritas, ultimamente só tenho postado vídeos. Prometo escrever mais! Afinal, é o principal propósito do Blog. Muito provável que ninguém vai ler esse texto inteiro, mas sempre há uma esperança.

Tenho percebido ultimamente que o Blogspot vem perdendo espaço para o Tumblr, não sei quais são as desvantagens deste, talvez seja mais funcional. Pensei até em migrar pra lá, porém seria muito empenho, e como a preguiça me corrói, continuarei aqui no Spotão até tempo indeterminado, talvez um dia eu migre, mas não será hoje, nem amanhã.

Sobre os vídeos, tenho conseguido gastar bastante tempo fazendo/editando o Top 4 de Alguma Coisa, foi muito divertido. Me conhecer melhor na oratória, na arte áudio/visual, acho que me sai melhor do que eu mesmo imaginava (você pode não pensar assim, mas eu gostei, então não venha enxer o saco). Ver a surpresa dos amigos, as crises reflexivas, as críticas nos comentários e tudo mais.
Ultimamente (de 4 dias pra cá) tenho passado as horas vagas na internet fazendo coisas legais ao meu ver: Conhecendo novos vlogs, e descobrindo o quão rica é a internet brasileira, lado esse que até então eu não conhecia; Jogando pôquer no Pokerstars, tenho apanhado muito, mas é legal; Lendo bastante notícias, versos, poemas e blá-blá-blá de autores desconhecidos. Então muito provavél que updates do Top 4 sejam um pouco mais escassas do que já são de costume.

O xadrez infelizmente foi deixado um pouco de lado, só lecionando agora e às vezes batendo uns pings na net, além do mais, algo muito me decepcionou, o Planeta de Ajedrez não oferece mais torneios gratuitamente, foi como uma apunhalada pelas costas.

Penso em comprar um livro e me entreter mais com a leitura. Este se chama Metallica e a Filosofia: Um curso intensivo de cirurgia cerebral, de Willian Irwin.Cuja resenha, colada do site Americanas é:
 "Muito mais que uma banda barulhenta, o Metallica traz em suas músicas questões éticas, políticas e sociais do mundo moderno. Para aqueles que não o entendem, suas músicas não passam de ruídos desarmonizados, mas ir a fundo no significado de suas letras é enxergar as motivações dos integrantes e as relações discursivas subjacentes. Podemos, então, ver que os integrantes do grupo são mais que cabelos compridos e guitarras nas mãos. São seres humanos com pensamentos, idéias e emoções. Tudo isso transmitido por meio de suas melodias."


Acho que a leitura será bem prazerosa, pois além de se tratar da minha banda favorita, fará me ligar, com a filosofia, que nunca é demais

Então, para este texto não ficar mais massante do que já está, vou findá-lo aqui. Além do mais, hoje não foi um dia muito divertido, estou desde às 13:00hs na frente do computador, isto está me causando uma tremenda dor nas costas e fome, por isso vou comer algo e assistir o Fantástico. Obrigado a todos que conseguiram ler todo o texto, boa semana.

 

14 de abril de 2010

Loop da Vida

Batalhei por justiça para todos
Foi como pular no fogo
E sem remorso, tentei ser Orion,
Orei a um messias leproso

Mas não pise em mim
Travo uma luta interior
Triste, mas verdadeiro
Foi Deus que falhou

No lugar onde tudo é selvagem
Virei a página

E me vi como o herói do dia
Era o que mamãe dizia

Santa raiva ao redor do meu pescoço
Santa raiva em todo o meu corpo
Quebrado, espancado e cicatrizado

Aquilo era o meu mundo
Ciclo incessável que finda ao magnetismo da morte
Aquilo era apenas sua vida
Onde o que não te mata, te deixa mais forte.

Guilherme Serafim



Sarcasmo burocrático


 Pasmava-se sozinha
Com o poder que as pessoas tinham
Poder de não compreender a ironia
Prefiriu deixar tudo como estava
A não ter o desprazer de explicar

 Enquanto todos caçoavam de sua face
Ela permanecia atônita
Enquanto toda classe caia às gargalhadas
Ela também ria,
Mas ria em silêncio,
Meio a tanta hipocrisia. 

Guilherme Serafim

12 de abril de 2010

oi?


Clique na imagem para ampliar

5 de abril de 2010

Fica a dica.




Verbo viver.

"Estive doente
doente dos olhos, doente da boca, dos nervos até.
Dos olhos que viram mulheres formosas
da boca que disse poemas em brasa
dos nervos manchados de fumo e café.
Estive doente
estou em repouso, não posso escrever.
Eu quero um punhado de estrelas maduras
eu quero a doçura do verbo viver."

- anônimo

3 de abril de 2010

Enter Sandman - Metallica [ Versão Família!]

Em 1991, o Metallica lançou um álbum que ficou conhecido como "o álbum negro" e que vendeu zilhões de cópias. Não obstante, o hit do CD "Enter Sandman" é, ainda hoje, considerado um pouco "forte" demais para a maioria dos ouvintes.

'Para reforçar o status de CD mais bem vendido da era SoundScan, foi produzida uma nova versão de "Sandman", mais leve, que até sua mãe poderia ouvir e gostar. O resultado pode ser visto abaixo (Obs.: não é a banda quem está tocando...).



Fonte: whiplash.net