6 de dezembro de 2009

A cinco horas da jornada


A cinco horas da jornada
Mandam que mudemos o mundo
Agora que o novo século começou
A calçada de casa está suja
O colarinho da camisa, suado
As contas atrasadas
E uma dor de cabeça insiste em incomodar nossa obsessão

A cinco horas da jornada
Mandam que mudemos o mundo

Já não temos os fios de cabelo da cor original
Os brancos começam a aparecer
Mas ainda não desistimos da mudança
O relógio é implacável
O tempo se esgota
Mas permanecemos com o pulso firme
E não temos expediente.

Terminal Guadalupe

Um comentário:

  1. O tempo tem se tornado nosso maior inimigo. Cada vez mais tarefas, mais responsabilidades e menos tempo

    ResponderExcluir